Compartilhe:

Edição junho | 2017

Postado por Sindicato em 5 de junho de 2017

TRABALHADORES SÃO RECEBIDOS A BALA E COM BOMBAS DE GÁS

A Marcha a Brasília realizada no dia 24 de maio foi organizada pelas nove Centrais Sindicais que existem no país e levou mais de cem mil trabalhadores para a capital do país.
Reivindicando a paralisação das reformas trabalhista e previdenciária e pedindo “Fora Temer”, os trabalhadores foram recebidos à bala pela polícia do Distrito Federal. E não foi só bala de borracha. Policiais despreparados dispararam tiros com armas letais que inclusive feriram uma pessoa gravemente.
Inaceitável a repressão da polícia que, por causa de alguns vândalos infiltrados e que não faziam parte do movimento, avançou com a cavalaria e tropa de choque abrindo fogo contra os trabalhadores, aposentados e estudantes.
Mas sabemos que a PM de Brasília agiu ao mando do patrão Temer, reprimindo de maneira violenta uma manifestação legítima da classe trabalhadora. Sabemos também que somente com a força do povo nas ruas é que vamos tirar o Brasil da lama em que esse presidente ilegítimo e seu congresso corrupto jogaram.

Devido a grave crise política que o Brasil está passando na qual os direitos trabalhistas que foram conquistados com muita luta estão sendo apagados da história dos trabalhadores, fato que demanda organização e atuação constante na batalha pela garantia desses direitos, nossa entidade comunica que a Copa dos Químicos de Futebol Society, torneio realizado anualmente em Americana e Piracicaba, deve acontecer no segundo semestre deste ano.
O Sindicato está trabalhando na organização do evento ao mesmo tempo que cumpre agenda de mobilização e luta contra as reformas trabalhista e da Previdência.
Contamos com a compreensão dos amigos atletas, sócios que participam todos os anos do torneio.

Biocapital

O Sindicato apresentou denúncia junto à Caixa Econômica Federal, INSS e Ministério Público do Trabalho contra a Biocapital, de Charqueada, pois a empresa não realiza os recolhimentos de FGTS e INSS desde 2014. Ação movida no Justiça do Trabalho de Piracicaba cobra esses valores, de 2014 até 2017.
Em audiência a empresa apresentou documentos comprovando que parcelou os valores devidos, anteriores a 2014, mas não mostrou qualquer comprovante de pagamento do período posterior.
A Justiça do Trabalho sentenciou a Biocapital a realizar os pagamentos de 2014 e também os posteriores, apresentar a RAIS – Relação Anual de Informa-ções Sociais dos anos de 2013 a 2016 sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 até o limite de R$ 500.000,00.
A sentença ainda não foi publicada.

Reforma da Previdência: Manipulação de informações para enganar a povo

Uma das maiores conquistas sociais da Constituição Federal de 1988, criada para garantir o acesso aos direitos da Previdência Social, Saúde e Assistência Social, a Seguridade Social é finan­ciada com recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Esta­dos, do Distrito Federal, dos Municípios e de contribuições sociais.
Quando o governo diz que a Previdência é deficitária, ele considera somente a receita da Previdência Social, deixando de fora da conta a arrecadação total da cesta da Seguridade, que é composta por nada menos que sete fontes de recursos (veja quadro abaixo).
Mesmo com a crise política e a instabilidade econômica no país, conforme dados da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (ANFIP), nos últimos quatro anos a Seguridade Social foi superavitária.
Manipulando e omitindo informações o governo engana o povo e tenta enfiar goela abaixo uma reforma que vai acabar com a possibilidade de o trabalhador conseguir se aposentar.

Deputados da região votam contra os trabalhadores

Os deputados federais que representam a região que compõe a base de atuação do Sindicato votaram “SIM” nos projetos da reforma trabalhista e da Previdência, além da terceirização irrestrita em todas as atividades.
São estes os deputados que estão acabando com os direitos que foram conquistados com muita luta popular.
No próximo ano tem eleição. Os trabalhadores tem a obrigação de escolher representantes de verdade, representantes da classe trabalhadora.

APOSENTADORIA

Entenda o pacote de maldades do presidente Michel Temer

LUTAR POR DIREITOS NÃO É CRIME

Criminalização do movimento sindical

Incluso no pacote de maldades de Temer também está a criminalização do movimento sindical.
O governo tenta colocar a opinião dos trabalhadores contra o movimento sindical usando uma série de mentiras na tentativa de desmoralizar e desmobilizar as entidades que defendem os direitos trabalhistas.

Tropa de choque: ataque aos trabalhadores durante a Marcha a Brasília deixando entre os feridos, um baleado com arma de fogo letal

Vale lembrar que todos os direitos que temos garantidos até hoje são frutos das lutas sindicais ao longo da história do país. Hoje os sindicatos negociam com os patrões os reajustes salariais, horas extras e todas as melhorias que estão, inclusive, acima da CLT. Por exemplo, enquanto a CLT garante o mínimo de horas extras em 50% e 100%, nossa categoria garante 70% e 110%, resultado de negociação entre sindicato dos trabalhadores e patronal.
O que o governo golpista quer é acabar com os sindicatos para que o trabalhador negocie diretamente com o patrão. Aí todo mundo sabe o que vai acontecer pois o trabalhador, sozinho, não tem força para encarar o patrão e, se não aceitar as condições, será demitido com o risco de não receber nem os direitos.
Os trabalhadores devem permanecer unidos para ter força e conquistar mais direitos pois, sozinho, o patrão é mais forte.

Marcha contra as reformas de Temer

Com mais de cem mil pessoas protestando contra as reformas do governo Temer, a maior marcha da classe trabalhadora já realizada no país aconteceu no dia 24 de maio e contou com a participação da diretoria do Sindicato. Estiveram presentes na Marcha dos Trabalhadores a Brasília os diretores Leandro, Wagner, Godoy, Toninho, Kleber e Aparecido, representando os mais de 6400 trabalhadores das cidades que fazem parte da base do Sindicato dos Químicos de Americana e Região.

Relações de Trabalho

A Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT é a responsável pelas regras que tanto as empresas quanto os trabalhadores devem cumprir para que exista uma boa relação trabalhista.
A CLT juntamente com a Constituição Federal de 1988 garantem os direitos mínimos necessários aos trabalhadores como:

CTPS, jornada de trabalho, horas extras, adicional noturno, férias, 13º salário, FGTS, Seguro Desemprego, abono, vale transporte, alimentação, licença maternidade, faltas justificadas, aviso prévio e outros

Com o pacote de Temer, a CLT corre o risco de ser extinta. Deve ocorrer o aumento da jornada de trabalho sem pagamento de horas extras. Os acordos propostos pelo patrão terão validade mesmo passando por cima das leis trabalhistas. Por exemplo, o patrão pode retirar do contrato de trabalho o pagamento do 13º salário ou parcelar o pagamento das férias e o trabalhador não vai ter como recorrer.

Compartilhe: